Eu não sou perfeito mas eu te amo mensagem

Não sou perfeito. Assim como todas as pessoas também não são! Sei odiar e perdoar,sei viver, amar, conquistar e abrir mão de tudo quando quero, sei falar no ouvido e gritar pro mundo ouvir, sei ser tímido e também desinibido, mas principalmente sei ser FELIZ e lutar pelos meus sonhos. Não sou perfeita, não sou a mais bonita, nem a mais romântica,e nunca serei a mais fofa. Sou humana e por isso eu erro muito, falo o que acho certo, e não o que as pessoas querem ouvir, tenho meu próprio estilo, minhas próprias manias, e claro tenho meu jeito único de amar. Pois, por mais que eu faça para você, parece não ser suficiente. Te amo na simplicidade de minhas capacidades, na certeza da fidelidade Sei que não é bem isso que deseja, mas é tudo que posso lhe entregar E lhe dou com todo meu coração e todo meu amor, pois sem você, não tenho calor Meu amor, quero pedir desculpas por não ser uma namorada perfeita. Você sabe que tento dar sempre meu melhor pelo nosso relacionamento, mas por vezes sou difícil de entender e você acaba sofrendo com isso. Acredite que eu dou tudo para ver você feliz. Não há outro lugar onde eu queira estar a não ser a seu lado. Tenho certeza que você será para sempre o homem da minha vida. E eu vou fazer você feliz. Nada é perfeito, e eu não quero ser perfeito, mas posso fazer você feliz mesmo assim. Acredite em mim, meu amor. Se você apostar comigo que pode ser mais feliz longe de mim, tenha a certeza de que vai perder. Eu quero ter você comigo sempre, para sempre, e quero que você esteja feliz, porque eu te amo, porque ... Eu não sou perfeito, mas tentarei ser o melhor que eu puder . Meu amor, eu posso não ser perfeito, não ser um príncipe encantado, mas ainda assim farei de tudo para ser a sua melhor escolha todos os dias. Prometo me esforçar para te dar o céu e a terra, para nada lhe faltar e eu ser o seu abrigo. Diversão não vai faltar e amor também não. Sei que não sou perfeito, mas quero estar ao seu lado Sei que te fiz sofrer, pois compreendo que ainda estou longe de dominar minhas fraquezas e ser a pessoa que sempre sonhou. Mas também sei que se eu estiver a seu lado posso crescer a cada dia e me tornar uma pessoa que só vai te trazer felicidade. Não sou perfeita, eu bem sei, mas sei que amo você com toda a minha imperfeição e eu acho isso bonito, essa coisa de querer ser a melhor versão de si para o outro. Então, saiba que eu o amo sempre que assisto àquele filme com você, mesmo não entendendo uma vírgula, e fazendo aquele esforço enorme para não dormir. Eu não te amo na esperança que sejas perfeita, mas na certeza que tuas imperfeições são lindas de morrer! 0 compartilhamentos Você me completa, amor; sou tão feliz ao seu lado!

parece fanfic mas eu juro que aconteceu

2020.08.30 02:32 querocafune parece fanfic mas eu juro que aconteceu

vou contar o filme que minha vida virou...
Pro contexto: eu acabei de voltar de um intercâmbio de 8meses em Wellington, na Nova Zelândia
Então, conheci esse menino na minha escola, numa aula feita pra que pessoas do mesmo ano escolar se relacionem, era uma aula de meia hora que acontecia duas vezes por semana, então não tínhamos muito contato, mas sempre sentava com ele e os amigos dele nesse tempo. Como eu era estudante internacional, não tinha muitas amizades além dos brasileiros que estavam na mesma situação que eu, então eu achava um máximo ter esse grupinho pra conversar. Enfim, entramos em lockdown em março, e as aulas online começaram, e essa aula parou de acontecer. Eu tentava fazer amizade com pessoas de outras aulas por mensagem, mas ninguém continuava a conversa... até que depois de algumas semanas eu e esse menino, começamos a conversar pelo instagram, conversávamos a cada 2 dias, mais ou menos, sobre coisas bem aleatórias, mas era alguém com quem conversar. E eu sempre fui muito devagar pra relacionamentos românticos né, mas resolvi investir nele e ver no que dava. Eu tentava flertar, mas além da falta de experiência tinha o fator idioma, flertar em inglês é uma coisa assim... complicada kkkk
Passamos 2 meses de quarentena e as coisas começaram a reabrir, obrigado Nova Zelândia!! E acabei chamando ele pra sairmos quando pudéssemos. Fomos tomar um café, e como sou do Brasil tive que honrar o estereótipo e chegar 1hora depois do combinado, me culpei muito por isso, mas no final das contas passamos um tempo bem legal juntos, mas não rolou nada. Mais ou menos uma semana depois sugeri que saíssemos de novo, e acabamos indo pro “cable car”, basicamente um carrinho que sobe um morro, mas que é um dos lugares turísticos da cidade, junto com o jardim botânico que fica no topo desse morro. Eu, na inocência, me arrumei pra encontrar ele, quando chego lá ele tinha levado uma garrafinha de água, preparado pra dar uma caminhada kkkk andamos igual notícia ruim, e eu sempre fingindo costume e não mostrando que eu estava a beira do desmaio... Obviamente, não conseguimos conversar muito, mas cada experiência é uma experiência. No final, quando já não tinha mais subidas ou descidas de morro tentei jogar um charme, um elogio, mas ele não captou minhas mensagens, um tempo depois ele disse que tinha dever de casa e foi embora na vespa dele kkkkk
Continuei persistente, porque apesar de tudo eu gostava das nossas conversas e de passar tempo com ele, e mesmo que não desse certo, seria uma amizade de um outro país, eu não tinha o que perder.
Foi aí que fomos nesse museu, “te papa”, que tem exposições interativas e é super interessante, mas eu já tinha ido lá no mínimo umas 3 vezes, então eu estava com bastante foco no objetivo kkkkk eu nunca encontrava a hora certa pra dar o primeiro passo, e ficou nisso durante o dia inteiro. Até que quando estávamos indo embora, dessa vez ele não estava dirigindo a motinha dele então pegamos o mesmo ônibus pra casa, o ponto dele era antes do meu e quando ele desceu eu não aguentei, e senti que deveria fazer alguma coisa. É aí que a produção entra em cena, eu levantei e pedi pro motorista parar o ônibus, falei que eu tinha que fazer uma coisa rapidinha e eu já voltava, aí eu desci do ônibus e corri atrás dele, ele achou que estava sendo assaltado, mas eu fui e falei pra ele que eu senti que perdi muitas oportunidades de fazer isso durante o dia mas que eu tinha que fazer isso, aí perguntei se eu podia beijar ele, ele disse que sim!!! Voltei pro ônibus e a cara do motorista foi muito boa, ele viu tudo pelo retrovisor kkkkk DETALHE, tava chovendo.
Depois conversamos por mensagem, e eu falei que não sei de onde eu tinha arranjado coragem pra fazer aquilo, mas que eu estava muito fez de ter feito.
Na segunda-feira, combinamos de encontrar depois da aula, acabamos indo pra casa dele e conheci a mãe dele kkkk fiquei meio sem reação, não sabia o que fazer, foi super bizarro, mas de novo, cada experiência é uma experiência né? A mãe dele saiu e ele tentou me beijar, mas eu travei tanto que não consegui, ele coitado ficou super confuso, e eu comecei a tagarelar sobre timidez, insegurança, umas coisas nada a ver, tentando me justificar... Ele só ficou mais confuso, resolvemos então dar uma volta e fomos comprar pão, fomos num parquinho e comemos lá... Conversarmos e tava tudo muito bom, mesmo eu tendo tornado tudo muito constrangedor. Cada um foi pra casa e ficou aquele clima estranho, mesmo ambos querendo a mesma coisa.
Mais tarde mandei mensagem pra ele falando sobre minha mania de auto-sabotagem, e que tudo tava sendo tão bom que alguma coisa em mim me dizia que tava errado, então eu estraguei tudo. Ele não entendeu direito, então só falei pra que a gente ignorasse tudo o que eu falei e continuar do jeito que tava antes kkkkk
Dia vai, dia vem e esse amigo dele deu uma festa, um dia antes de uma viagem que eu iria fazer, mas eu fui mesmo assim. Fui com uma galera da minha outra aula, e já tava me sentindo mais confortável, até que eu chego na festa... Uma coisa bem maluca kkkk tinha uma fogueira com sofás em volta, uma garagem com colchões e bebidas, uma caixa de som, e gente usando vape. Até aí tudo bem, encontrei ele e as coisas tavam indo na paz, tirando a parte em que tive que ensinar ele como eu beijava de língua, que foi um pouco constrangedor mas que no final deu tudo certo, a gente se encaixou e ficamos agarradinhos perto da fogueira, porque tava muito frio! Até que um doido resolve tirar o próprio sapato, colocar vodca pura dentro e beber... pois é, como reagir? Ok, algumas horas se passam e esse menino do sapato, surpreendentemente, começa a passar muito mal, então deitam ele em um dos colchões e eu falando pra darem água pra ele... Não sei o que rolou, voltei pra perto da fogueira, não ia dar uma de baba pra alguém que eu nem conheço. Até que um carro entra onde a gente tava, eram os pais do menino do sapato, tiveram que buscar ele porque ele só tava piorando...
Por causa da confusão dos pais, uma das vizinhas chegou lá pra ver o que tava acontecendo, então o menino que eu tava beijando, já um pouco alterado levanta e fala que a gente tem que sair dali pra que não me deportassem kkkk eu fui com ele, entramos num lugar muito escuro e eu comecei a ficar com medo, porque por mais que eu goste dele eu não queria morrer. Fomos parar numa estação de trem e ficamos rondando por lá por um tempo, sem saber o que tava acontecendo na festa, mais tarde a gente voltou pra lá e tinham guardado tudo, os sofás, a música, apagado a fogueira, e estavam falando que tinha baixado polícia lá... Não vi nada. Tava todo mundo indo embora, e achei melhor eu também ir, mas minha carona tinha vazado, fiquei sem saber o que fazer, então tive que ligar pra minha hostmom pra ela vir me buscar, achei que ia levar esporro, mas ela achou até bom eu ter feito isso kkkk
No dia seguinte eu fui pra minha viagem, e foi muito boa, conheci gente nova e fiz coisas que nem acreditava que faria, inclusive pular de avião e de bungee jump! - mas agora, a história é sobre meu romance clichê
Quando eu voltei marcamos de encontrar várias vezes, e tudo tava sendo lindo e cor de rosa... conheci a família dele, até a vó kkk e ele a minha hostfamily. Eu tava nas nuvens.
Porém, com toda essa complicação do covid, minha data de volta tava sempre mudando. Até que confirmaram meu voo pro dia 29 de agosto, ok, me planejei organizei o que eu iria fazer. Só que uma semana antes me ligam avisando que mudaram a data mais uma vez, só que dessa vez pra 4 dias mais cedo! Eu entrei em pânico, por mais que 4 dias parece pouco, mas é muita coisa... Tive que remanejar tudo, remarcar as despedidas e tudo mais. eu tava muito emocional, chorava por tudo.
Até que um dia nessa última semana, eu tinha acabado de jantar e estava brincando com as crianças da minha casa, ele me liga e pede pra que eu fosse lá fora, fiquei super confusa, mas eu fui. DETALHE, tava chovendo também... Eu perguntei o que ele tava fazendo ali e ele disse que tava fazendo uma corrida noturna e que eu não poderia ir embora sem que ele falasse isso, foi aí que ele disse que me ama... Eu fiquei em choque, não tava caindo a ficha de que isso tava acontecendo, eu perguntei se ele queria entrar, tomar uma xícara de chá, sei lá... Ele me disse pra pensar sobre isso e que tinha que ir embora, então ele saiu correndo. Eu voltei pra dentro e não conseguir pegar no sono. depois, mandei mensagem pra ele falando que eu não esperava por isso e perguntei se ele tinha certeza do que ele tinha falado, conversamos bastante mas eu ainda não conseguia engolir, mesmo com ele sendo incrivelmente perfeito em tudo que ele falou pra mim. Na manhã seguinte tive minha sessão de terapia semanal, ouvi umas poucas e boas de como eu negava o amor dos outros, de como eu achava que por eu não me amar ninguém seria capaz de fazer isso... E cada palavra valeu a pena, quando acabou disse pra ele que queria ver ele, e de noite fomos pra cidade, e com toda certeza foi uma das melhores escolhas da minha vida. Jantamos pizza e caminhamos por todo lugar, e quando tava chegando a hora dele ir embora não deu, e comecei a chorar, me abri pra ele e disse que também amava ele, e ficou assim, os dois boiolas chorando num ponto de ônibus, olhando um pra cara do outro. Mas por mais triste que eu tava, me senti muito bem de estar vivendo aquilo. Levantamos e continuamos a andar pela cidade, dando sempre uns intervalos pruns beijinhos...
Então ele teve que ir embora, e quando ele deu partida na motinha dele eu gritei pra todo mundo ouvir que eu amo ele! Comecei a chorar de novo, muito muito mesmo, não só por ele, mas por tudo que eu vivenciei naquele país, vida, morte, conexão, solidão, despedida, saudade, amizade, amor, tudo que faz a vida valer a pena e como muitas vezes já pensei que nada disso valia a pena. Esses 8 meses me ensinaram o que é estar vivo, e sou muito grata por ter aprendido isso!! nessa minha profunda reflexão, meu ônibus chegou, e era um ônibus de dois andares, eu que não vou boba nem nada fui pra frente da parte de cima, chorar ainda mais e fazer esse filme ainda mais clichê...
Até que enfim, chega meu dia de voltar pro Brasil, ele foi no aeroporto se despedir, e eu não passei um segundo sequer sem chorar, desde Wellington até BH, quase 3 dias de viagem e de muitas lágrimas...
A gente tem conversado todos os dias desde que cheguei, e sinto muita falta dele, mas ainda fico com receio de expressar tudo isso e ficar ainda mais triste com a situação, não sei como começar a conversa sobre o que vai acontecer entre a gente, se estamos em um relacionamento a distância ou continuarmos nos amando só que em forma de amizade, se ele toparia um relacionamento aberto, ou sobre o que ele planeja pra nós... Tenho medo de conversar com ele sobre tudo isso e estragar o que a gente tá tendo agora, porque por mais que exista a distância ainda sei que ele está lá pra mim do mesmo jeito que estou aqui pra ele...
E é isso, só queria abrir minha história a debate mesmo. Valeu aí...
submitted by querocafune to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 22:01 vivihelriguel MEU PRIMEIRO CORAÇÃO PARTIDO E O DESASTRE DEPOIS DISSO

Essa históra será muuuito longa e é mais um desabafo, entendo q após ler vc pode me achar um ser humano horrível e eu entendo, mas me arrependi muito das minhas ações se serve de alguma coisa.
Olá Luba, editores, papelões sobreviventes, gatas e turma q está a lever.
Bem minha história aconteceu ano passado (ahh saudades de 2019) eu tinha 14 anos quando tudo começou. Por uns 3 anos eu tinha uma queda pelo meu melhor amigo q é gay e tipo eu sabia disso mas continuava a gostar dele, mas em Agosto eu decidi superar esse meu amigo.E é ai q a merda começa, eu comecei a "olhar" de uma forma diferente para um outro amigo meu (vamos chamar ele de Varls) ele sempre se abria comigo e eu lembro q em um dia o Varls me contou de um dia q ele pegou uma amiga dele no cinema (e eu fiquei puta de ciúmes , do nada) foi ai q eu percebi q gostava dele muito além q um amigo , e é claro q eu comecei a ficar meio boba perto dele e tava na CARA q eu gostava dele. Passou 1 semana e eu disse pra mim mesma q "não" gostava mais dele (na real acho q só guardei esses sentimentos).Em um dia a minha sala fez tipo uma excursão pra outra escola (estávamos no 9° ano e não tinha ensino médio na escola ai nos levaram nessa escola pra ver como era) dividiram a nossa sala em 2 grupos o 1° grupo ninguém liga era todos um bando de chatos metidos, já o 2° grupo era formado por eu, meus amigos (incluindo meu amigo gay) e o varls. Eu e meu amigo gay sempre fomos bem próximos (ele sempre foi perfeito acho q por isso tive uma queda por ele) eu sempre segurava a mão dele SEMPRE e só a mão dele (era o único menino q eu andava de mão dadas), até q em um momento o Varls simplesmente segurou na minha mão (eu sei é algo normal, MAS PRA MIM NÃO) e eu deixei é claro, ai o meus sentimentos voltaram pra me fuder.No dia seguinte dessa excursão eu toda trouxa iludida q sou fui perguntar pro Varls qual menina q ele tava gostando e ai ele toodo tímido falando tipo "ain nun sei, vc conhece ela muito bem" até q ele falou q era eu. E ai vc vai começar a ver as minha atitudes questionáveis, quando ele falou isso eu entrei em pânico total parece q na minha cabeça começou a soar uma sirene dizendo "ALERTA VERMELHO, ALERTA VERMELHO" o engraçado foi minha melhor amiga Mariana (vou expor ela sim, guardem esse nome ela é uma peça importante nessa história) já toda feliz dos dois amigos dela namorando e tals (coitada outra iludida igual eu kakakaka).Depois q ele se declarou pra mim (detalhe, ele já sabia q eu gostava dele) eu fui uma completa idiota, escrota e babaca com ele; comecei a evita-lo a TODO custo, não dei satisfação nem nada só comecei a ignora-lo (me arrependo muito dessa atitude imatura minha), mas era oq eu sabia fazer de melhor fugir ou tentar fugir dos meu problemas. Bom depois de um tempo sendo MUITO fria com ele a gente voltou a conversar normalmente como éramos antes, conversamos muito principalmente pelo discord.Acho q se passou alguns meses, acho q a gente ja tava em outubro só não lembro se isso aconteceu antes ou depois do meu aniversário a gente tava conversando eu, Varls, dona Mariana e um outro amigo (ele é irrelevante) o Varls fala: "eu sei q vc ainda gosta de mim Vitória" eu eu fiquei tipo ??????? ai a Mariana (te amooo) falou: "e vc Varls ainda gosta dela?" e ele disse q TALVEZ, ai o sentimentos q estavam se normalizando em mim voltaram com força total (novamente pra me fuder). Depois virou meio q um vai e vem sem nenhum dos dois se assumindo ou tentando algo, eu por ser insegura e não estar me sentindo preparada e ele pq sei lá; nossos amigos (a gente tem o mesmo círculo de amizade) seeeempre me falavam pra eu dar uns pegas nele só q por mais q eu queria não me sentia pronta e nem segura sobre ele (como eu havia dito antes ele se abria comigo e naquele ano ele me falou q teve uma queda por umas 3 meninas da minha sala antes de mim, e eu fui a única q correspondia ele) não sei oq ele sentia por mim e eu não iria dar um salto de fé (nem fudendo). Por impaciência dos meus amigos eles meios q nos "forçaram" a algo o Varls por livre e expontânea pressão dos nossos amigos ele decidiu me pedir em namoro, levou anel e tudo, e ele se ajoelhou e pediu e eu aceitei pq tipo tava todo mundo em volta e fiquei com vergonha de dizer não, passou uns 4 minutos q ele me pediu e eu fui e chamei ele pra um cantinho e devolvi o anel, expliquei pra ele q aquela não era a hora pra mim ainda era muito imatura, mas ele não aceitou o anel e disse pra eu ficar com ele (o anel era mó bunito) OBS: perdi o anel depois hihihihihhi. A nossa amizade aparentemente continuou a mesma e eu fiquei bem feliz com isso (por mais q a gente não fosse namorar ainda estimava a amizade dele); corta pra dezembro último dia de aula, eu toda bobinha com ele esperando ele chegar na nossa festinha, esse último dia foi terrível eu e meus amigos não iriamos estudar mais juntos (estudamos por 4 anos juntos), foi uma choradeira e quando eu fui abraçar o Varls (detalhe: eu pedi pra ele ir pra mesma escola q eu ia,mas ele foi pra uma mó cara (burguês safado)) ai eu perguntei chorando litros: "a gente ainda vai se ver?" e ele disse na forma mais fria "não sei" (não escorreu uma lágrima). Esse momento é irrelevante pra história mas quero compartilhar: quando eu fui embora dei um beijo na bochecha dele e disse "adoro seu cheiro" (aliás o perfume dele era a perfeição, mas sinto uma vergonha de ter dito isso ). Corta para o começo do ano de 2020, comigo ainda sentindo algo pelo Varls e pedi para Mariana (minha fadinha linda perfeita) mandar meu novo número de celular para ele, pra ver no que ia dar, eu e Varls conversamos mas sei lá a gente não dava certo como antes, mandava mensagem no celular da Mariana fingindo ser ela (totalmente autorizado pela própria), ate q ela decidiu perguntar se ele ainda gostava de mim e eu iludida esperançosa com a resposta (sou um pouco bipolar e contraditória eu sei) bom a resposta não foi oq eu esperei, na verdade ele disse q não sabia bem ao certo e que queria só seguir em frente, essa resposta me quebrou e eu decidi fazer o mesmo né (eu já tava imaginando a nossa vida juntos, misericórdia sou muito trouxa) mas mesmo assim ele conversava e me ligava pelo discord BASTANTE, ate q um dia (eu ja estava "bem" em relação a ele) a gente começa a conversar pelo Whatsapp e ele me manda uma foto de açai (eu amo açai) e falo "se eu sonhar com açai essa noite é culpa sua" e ele me responde com "se eu sonhar com vc é culpa sua" E FIQUEI DOIDA, pouco tempo depois ele saiu da conversa (passei a noite quase toda pensando nessa maldita frase) no dia seguinte questionei ele e o Varls simplesmente disse q era uma brincadeira, isso me quebrou, depois foi eu lá mandar mensagem dizendo q ainda gostava dele e ele disse "ata" só isso, chorei horrores. O incrível q ele é super frio, e grosso comigo a Mariana tbm concorda comigo q ele é super frio, isso me deixa triste pq eu ainda gosto dele e ver q ele superou tão rápido e eu to aqui na fossa é uma merda, além disso a nossa amizade não é a mesma não temos a mesma intimidade e dinâmica de antes, e acho q não o conheço mais, em algumas vezes ele ainda é legal comigo em outras é frio, quando eu não converso com ele ta ok mas quando a gente conversa tudo começa a voltar EU TO PIRANDO DE LEVE.
Eu tenho a teoria de q ele é frio comigo como vingança pelo q fiz antes a ele mas ele tbm é frio com a Mariana, aliás eu pedi desculpas pelo q fiz antes e ele meio q me desculpou.
tá ai meu desabafo, relevem qualquer erro ou algo do tipo
submitted by vivihelriguel to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 05:55 Shinvk Fui babaca por cortar raízes e relações com amizades de mais de 10 anos? Conflitos, novelas e tragédias.

Aviso de gatilho:
• Chantagem emocional.
• Abuso psicológico +.
• Menção a problemas de saúde mental tais como: ansiedade, depressão e +.

Primeiramente, olá Lubisco, editores, gatinhas e Turma.
Bom, a história é longa e cheia de drama então take a seat que lá vem história.
Editores, se puderem, por favor, censurar meu user, eu agradeço.
Eu sou S, F25 e os envolvidos dessa história são C - F24, G - F25, e E - M20, mas você pode chamar todo mundo de Calrs se quiser.
Pra contexto, vamos voltar alguns anos. Eu conheci a C a quinze anos atrás e nos tornamos melhores amigas desde então, well, ela era minha melhor amiga, eu era apenas mais uma no círculo infinito de amizades dela, já que ela adora colecionar cartinhas.
A G eu conheci a 10 anos atrás, e o match foi perfeito, éramos inseparáveis e honestamente, acho que tive uma crush pesada nela por todos essas 10 anos, acho não, tenho mesmo, mas isso não vem ao caso agora. Quando apresentei a G para a C, C se tornou estranhamento possessiva da G e meio que queria roubar a atenção dela totalmente, e já adianto, conseguiu. Se eu e G éramos o match perfeito, C e G eram carne e unha, inseparáveis.
Eu conheci o E a minha vida toda, praticamente, ele é primo do meu primo então em todas as reuniões de família acabávamos nos encontrando, mas nunca fomos muito próximos. Porém, no natal de 2018 acabamos ficando inseparáveis porque finalmente resolvemos conversar e percebemos que tínhamos tudo a ver um com o outro, mesmos gostos, mesmas ideologias e etc, e hoje nos perguntamos, por que não nos falamos antes? Como fomos burros hã?
Agora vamos a história, em Novembro 2018 eu me formei na universidade, me especializei na área que eu queria e estava com a vida engatilhada, recebi algumas propostas de emprego absurdamente incríveis e ainda mais, tinha planos até de sair da minha minúscula cidadezinha para tentar a vida na metrópole.
Veja bem, a vida que levei nunca foi fácil, aqui em casa sempre vivíamos com o básico, me formei com bolsa integral e se não fosse por isso, jamais teria oportunidade de fazer uma faculdade. Tenho uma vida muito simples e sonhos muito grandes. Mas nem tudo foram flores por um longo tempo, minha infância foi difícil, sofri traumas e certos tipos de abuso (os quais prefiro não mencionar aqui) que ficaram em silêncio por muitos anos, e que deixaram cicatrizes muito profundas. Tive depressão crônica por anos, tentei tirar minha própria vida algumas vezes e desenvolvi transtornos ainda piores em todo esse processo, um deles é pânico social e ataques de pânico contínuos. Tive muita dificuldade para lidar com meu passado mas de alguma forma, ao longo desses anos de faculdade, consegui me perdoar e fazer as pazes comigo mesma, e finalmente, entender que o que aconteceu comigo, não foi culpa minha. Em 2018, eu finalmente estava em paz comigo mesma, comecei a manter uma dieta mais saudável e fazer exercícios diariamente, sei que quem sofre de tais transtorno entende o quanto uma rotina dessas ajuda no processo de cura. E minha atividade preferida, era andar d bicicleta. Eu andava todos os dias, eu moro perto da cerra de Minas, o ar é maravilhoso, a vista é linda e o cheiro de terra somado com o vento no rosto quando se desce a montanha, é inigualável, e isso, me fazia feliz. Eu sou mais cega que um morcego, infelizmente, tenho mais de três graus de miopia e em um desses passeios, começou a chover muito, meu óculos embaçou e bom, você já deve imaginar, eu não enxerguei a pista e na tentativa de limpar a lente, não vi uma vala e sofri um acidente.
Geralmente meu irmão ia comigo, mas como a vida gosta de ser engraçada, naquele dia eu estava sozinha. Digamos apenas que o pneu da frente da bicicleta ficou preso na vala e eu virei 180 graus, cai de gostas e o guidão bateu com a força de uma bigorna no meu peito. Como eu estava sozinha, chovendo e pra melhorar, escurecendo, desentortei o pneu do jeito que dava, coloquei a correia de volta e voltei pra casa pedalando, quase 10km.
No dia a gente não sente, mas no dia seguinte, aaaaah meu amigo, acordei praticamente gritando de dor, em plena madrugada fiz meus pais levantarem em desespero, e para a surpresa de ninguém, quando fomos olhar, meu peito do lado direito estava praticamente preto, roxo e azul, um azul que já te digo, nem um pouco normal. Fomos pro hospital e após alguns exames, o diagnóstico foi três costelas quebradas. O médico disse que pela posição, elas calcificariam naturalmente e não precisaria de cirurgia, o que foi um alívio. Fiquei em observação e praticamente sedada em morfina por alguns dias, porém, quanto mais esses dias passavam, a dor piorava e piorava até chegar ao ponto de ser insuportável.
Meus pais marcaram outros exames, como ultrassonografia, exame de sangue e etc, e após tais, o médico da clínica disse que o trauma tinha sido severo, que meus músculos e nervos haviam absorvido completamente o impacto e bom, tive lesões extremamente severas, estiramento muscular, o tendão que se prende ao osso descolou completamente, os nervos intercostais que ficam entre as costelas tiveram ruptura, rasgaram e inflamaram, e a recuperação, disse ele, seria de 6 a 8 meses.
Para você ter uma noção, a dor, é indescritível, é de gritar e acordar chorando, não da pra respirar, não da pra andar, não da pra sentar, se movimentar, não da pra dormir. O peito parece que queima, parece que vibra de tanto que dói, as vezes acho que levar mil facadas no mesmo lugar doeria menos do que isso, e não é exagero. Eu fiquei praticamente o ano de 2019 inteiro de cama, acordava chorando dezenas de vezes por noite, as vezes chorava de exaustão e frustração porque dormir era impossível. Meus sonhos, você pergunta, todos descartados no lixo. Eu me sentia completamente entorpecida, era como um cadaver vivendo dentro de uma casca. Esse acidente literalmente acabou com a minha vida, se eu não podia sentar na mesa para almoçar com a minha família, imagina trabalhar, mudar pra outra cidade, fazer as coisas que eu sonhava? Essa experiência foi e continua sendo um inferno, porque até hoje eu estou no mesmo ponto, vivendo dia a dia com uma dor que não passa, só se aprofunda, não cura, não melhora, apenas atormenta e eu? Bom, não sobrou muito daquele eu feliz de 2018, voltei pro ponto zero.
Eu te pergunto, depois de uma experiencia dessas, depois de 1 ano e oito meses que estou vivendo esse inferno, isso não muda uma pessoa? Pois bem, muda sim.
Minha depressão voltou mais forte do que nunca, já não sentia mais vontade de fazer nada, parei de falar com as pessoas porque eu simplesmente não tinha mais forças, comecei a me isolar, a evitar contato, já não entrava mais em rede social, não sentia, não sinto, vontade de viver, de conversar de existir, e é nessas horas que a gente percebe quem realmente importa.
Meus pais e meu irmão estavam e estão do meu lado sempre, sempre que tenho febres, sempre que preciso de ajuda pra fazer alguma coisa; comer, ir de um cômodo para o outro e etc. E o 'E', o E me visita sempre que pode, vem nas férias, feriados e as vezes finais de semana, me ajuda, me distrai e é o amigo que eu não mereço, é praticamente meu outro irmão e eu agradeço a Deus até hoje por ter me dado esse presentinho mais que especial que eu amo mais que a vida. Tiveram noites que ele acordou de madrugada pra ver se eu estava com febre, computou todos os horários das minhas medicações pra me lembrar de tomar os remédios, quando ele não estava na minha casa sempre perguntava se dormi o suficiente, se comi o suficiente, se bebi água o suficiente. Ele me fez assistir Jojo inteiro e me aguentou todas as vezes que eu quis assistir Mo Dao Zu Shi de novo e de novo e de novo, tanto que agora é o anime preferido dele também e eu que sei, obrigada.
G, G foi um anjo também, ela ligava quando eu não conseguia dormir e assistia anime comigo, vinha vez ou outra e me tirava de casa, tinha toda a paciência de esperar eu andar devagar, sempre com a mão segura dentro da minha e bem, sempre perguntava se eu estava melhor, se estava bem e se precisava de alguma coisa, ela foi um amor, e dela não tenho nada a reclamar, será?
C, bom, C nunca perguntou nada, nunca quis saber como eu estava, apenas mandava mensagem quando precisava de alguma coisa, pediu que eu fizesse o design de uma tatuagem pra ela e mesmo com dor, sentei por horas e fiz, mandei pra ela e ela além de não agradecer, fez pouco caso e disse que tinha desistido de fazer. Okay, passou. C veio duas vezes pra cidade, até porque, a família dela mora aqui, ela faz faculdade em outra cidade e vez ou outra vem pra cá. Duas dessas vezes ela me chamou pra ir na casa dela, e eu idiota que sou, me arrumei e fui com dor mesmo, até porque, estava com saudades. Porém, o dizer da experiência? Uma pessoa com dor crônica involuntariamente geme toda vez que faz algum movimento, e comigo não é diferente, eu tento segurar mas as vezes o corpo responde e reage por si só, e C, ela sempre tinha uma piadinha na ponta da língua, "Nossa fia, não para de gemer não?", "Vai gemer a noite inteira? Não pode dar dois passos que geme." e caía na risada, instigando as outras amigas dela a fazerem o mesmo, e eu me sentia humilhada, e não era de menos. Da segunda vez que ela veio, ela me mandou a seguinte mensagem: "Quer vir aqui? Eu tinha chamado a Calrs, mas como ela não vai poder vir estou sozinha e entediada." e eu falei que ia, pra ela responder com "Então passa no mercado e compra pão de hambúrguer." era eu ou era o pão que ela queria a presença? Fica ai o questionamento pra vocês.
A noite prosseguiu com as mesmas piadinhas sem graças da outra vez e etc. Nunca mais mandou mensagem depois disso.
Inclusive, várias pessoas já me falaram que ela não era boa coisa, minha mãe principalmente, nunca gostou tanto dela, até meu ex, detestava ela com tudo que tinha, e eu sempre a defendi com unhas e dentes pra todo mundo que pensava em bufar um A contra ela. Até porquê, ela era minha melhor amiga.
A G, veio me ver uma noite, saímos e acabamos ficando e foi só aí que eu percebi que estava apaixonada por ela, fiquei dias juntando coragem pra confessar ou simplesmente esclarecer se poderia rolar algo ou não entre a gente, e já estávamos planejando de ficar de novo quando ela viesse da próxima vez.
No natal, as duas vieram pra minha cidade, e eu ia passar em casa com o E, já que minha família ia passar em outro lugar. O clima estava tenso passei a noite de natal com febre, deitada no sofá e praticamente evitando olhar pro E porque eu sabia que ele estava engolindo o choro, e sabe? Ele disse depois que doía me ver do jeito que eu estava e que ele simplesmente não conseguia não sentir, que se ele pudesse dividiria a dor comigo. Um anjo? Sim.
Na mesma noite recebi uma mensagem da C, perguntando se eu queria passar o dia 25 com ela e a G, elas iam subir uma trilha e passar o dia no rio, e obviamente eu respondi que não tinha condição, que se elas quisessem passar aqui em casa depois e passar a noite, a porta estava aberta, mas não, eu não podia ir, mas ela queria ir pro tal rio e tentou me convencer de todas as formas possíveis, e quando eu dei meu não definitivo, ela simplesmente não respondeu mais, e eu não me dei o trabalho de responder também. 'E' ficou revoltado e disse que a falta de caráter e a audácia dela era de dar ódio, que só eu não via o quão manipuladora ela era, e realmente.
Eu piorei depois disso, estava com uma ressonância marcada em São Paulo, e só de pensar nas agonizantes horas que ia ter que passar dentro do carro pra ir e voltar, já era o suficiente para me causar uma crise de pânico atrás da outra, e a partir daí comecei a me isolar completamente. Meu pânico de contato começou a se agravar, eu comecei a ter medo de falar com as pessoas e ter que explicar, ter ou que mentir que estava bem ou desmoronar quando dizia que não estava, e num desabado, postei em uma das minhas redes sociais que doía, doía estar presa dentro de mim mesma, doía não estar dando o melhor de mim pras pessoas que eu amava, doía não estar sendo boa o suficiente, e que tudo que eu pedia, era que não desistissem de mim se eu por algum motivo, eu me perdesse.
Dez minutos depois C respondeu ao desabafo, e essas foram as seguintes mensagens:
"A pessoa fica falando que os amigos abandonam ela mas ela mesma faz todo mundo se afastar, eu mesma já desisti, se faz pouco caso comigo, também faço pouco caso com ela. Se faz de vítima do cacete mas só faz merda. Reveja seus conceitos."
"Ain, não me abandona, mas quando eu tentava manter contato se fingia de morta, quando eu convidava pra sair sempre dava uma desculpa. Você está jogando todos os nossos anos de amizade no lixo e a culpa é sua SIM. Minha parte eu fiz, seu vitimismo e seu drama não me afetam mais."
Na mesma semana, um perfil sem foto e sem seguidores, basicamente uma conta fantasma, me mandou uma solicitação de mensagem e dizendo que me conhecia e conhecia tanto a C quanto a G e que essa pessoa não achava justo o que elas faziam; parece que C e G falavam de mim pelas costas, falavam pros outros que eu inventava essa dor simplesmente para chamar atenção, que provavelmente eu tinha até inventado esse acidente pra poder me fazer de coitada, que era puro drama e novela barata.
Eu não sei quem era, depois fui entrar nessa conta de novo e o perfil havia sido deletado. Só sei que nunca mais mandei mensagem pra nenhuma das duas, nunca mais vou também, não quis saber se era verdade ou não, simplesmente apaguei números, conversas e tudo que tinha relação com as duas, até porque, pelas mensagens que a própria C postou, bem provável que seja tudo verdade realmente, o que apenas dói mais ainda. Da C eu esperava, da G, não. Infelizmente, meu coração ainda pertence a ela mesmo depois de tudo, o que só piora as coisas pra mim.
Bom, só sei que precisava tirar isso do peito e perguntar para vocês, fui babaca por ter me isolado da forma que me isolei e ter permanecido em silêncio em momentos que eu estava em agonia? Fui babaca por não ter dado a atenção e o cuidado necessário pras minhas amizades quando eu deveria? Porque mesmo depois de muito tempo ainda sinto que é culpa minha isso ter chegado onde chegou, ao ponto que chegou. Eu sei lá, não quero conversar com elas porque sei que é caso perdido, o máximo que vou receber é desdém e sarcasmo, mas isso me perturba, talvez eu seja trouxa? Bem provável.

Enfim, era isso, mais um desabafo que um julgamento. Pra status, não consegui fazer a ressonância por conta do isolamento e meus pais acham que é arriscado me levar no hospital num momento desses. Esse mês faz um ano e oito meses que eu estou com essa dor contínua e não tenho prazo de melhora, mas sigo indo e sobrevivendo.
Lubisco e turma, obrigada por lerem minha trágica história. Dói um pouquinho menos depois de ter escrito tudo isso. E ah, não posso ir embora antes de coagir vocês a assistirem meu anime preferido, então anota Mo Dao Zu Shi aí e da uma olhada, melhor anime ever com o melhor ship LGBT do universo, recomendo ler o novel depois de assistir o anime e depois assistir o anime de novo porque tem muito detalhe que passa despercebido. Esse novel ganhou uns 500 prêmios e tem mais adaptação que o caralho, e é a única coisa que me trás um pouco de alívio e paz nessa situação, e espero que traga pra alguém nessa quarentena também.
Um grande beijo, S.
submitted by Shinvk to TurmaFeira [link] [comments]


SANDRO COELHO - EU NÃO PRESTO MAS TE AMO (CLIPE OFICIAL) Eu não sou perfeito PUTO PORTUGUES - EU NAO SOU PERFEITO - YouTube Henrique e Juliano - NÃO GOSTO EU AMO - DVD Ao Vivo No ... Reginaldo Rossi- Eu não presto mais eu te amo - YouTube nao sou uma pessoa perfeita, mas te amo TE AMO MAS NÃO SOU PERFEITO!! Não sou perfeito, mas eu te amo. Amanda Wanessa - Mas Eu Te Amo (Voz e Piano) #72 Hiosaki - Não Sou Eu - YouTube

Perdoe-me, mas não sou perfeito - Cartas - Paixão e Amor

  1. SANDRO COELHO - EU NÃO PRESTO MAS TE AMO (CLIPE OFICIAL)
  2. Eu não sou perfeito
  3. PUTO PORTUGUES - EU NAO SOU PERFEITO - YouTube
  4. Henrique e Juliano - NÃO GOSTO EU AMO - DVD Ao Vivo No ...
  5. Reginaldo Rossi- Eu não presto mais eu te amo - YouTube
  6. nao sou uma pessoa perfeita, mas te amo
  7. TE AMO MAS NÃO SOU PERFEITO!!
  8. Não sou perfeito, mas eu te amo.
  9. Amanda Wanessa - Mas Eu Te Amo (Voz e Piano) #72
  10. Hiosaki - Não Sou Eu - YouTube

nao sou perfeito meu amor lilian schemer, mas contigo seria genial!!seriamos um par perfeito!! perdoe as vezes que te magoe amor...mas voce é razao do meu viver!!! Category Mergulhe em seus Sentimentos com o Video lyrics da Música Não Sou Eu :) Adicione em suas Playlists: http://smarturl.it/Hiosaki Me Siga no Instagram: https://... ASSISTA TAMBÉM: DVD COMPLETO: https://www.youtube.com/playlist?list=PLZl5gqjItoKxcrqIChyX09RvP9ksIggp8 LIBERDADE PROVISÓRIA: https://youtu.be/ff3r10rCKFs BRI... Eu não presto, mas te amo Eu não preso, mas te quero Eu sei que não sou perfeito Enquato você não volta Eu bebo, eu bebo, eu bebo, eu bebo Reginaldo Rossi- Eu não presto mais eu te amo Autor: Jhon Rodrigues. This video is unavailable. Watch Queue Queue Mas posso tomar uma decisão Eu vou te adorar o resto da vida Te entregar pra sempre o meu coração Sei que não mereço ter o teu carinho Também reconheço que eu sou fraquinho Mas eu te amo ... puto portugues - eu nao sou perfeito directed by dj marcell Eu te amo, certo? Então entenda, que isso não me torna perfeito. Eu vou errar, cometer falhas bobas, dizer bagagens, ser grosso. Ás vezes eu vou chegar a ser frio e você nunca vai entender o ... This video is unavailable. Watch Queue Queue. Watch Queue Queue